Blog Cupola

Vendarketing: a importância do alinhamento entre marketing e vendas

Por , em

Entenda como alinhar as equipes de marketing e vendas, buscando assim melhores resultados para o seu negócio.

Mais da metade dos leads encaminhados pelo setor de marketing digital às equipes de venda nunca são contatados ou, quando são, isso ocorre apenas uma vez. O dado foi divulgado em uma pesquisa recente, realizada pela Inside Sales.

Ainda que bastante alarmante, o resultado revela algo que nem todos gostamos de admitir: não são poucas as empresas nas quais a relação entre as áreas de marketing e vendas se resume a um grande desentendimento.

De um lado, o marketing questiona a falta de dedicação e atenção dos vendedores aos leads qualificados pelo Inbound Marketing. Do outro, está a equipe de vendas que não vê sentido em perder tempo com leads que, muitas vezes, estão pouco ou nada preparados para fechar negócio.

O que ambos os setores não percebem é que, no fim das contas, a falta de diálogo e alinhamento afeta diretamente os resultados. Mas como mudar esse cenário?

Primeiro passo: um grande acordo intersetorial

Na receita que mistura marketing e vendas, a liga é o SLA (Service Level Agreement), termo que se refere ao acordo entre duas áreas para a garantia de qualidade na entrega de um serviço. O objetivo é alinhar equipes codependentes para conseguir o que chamamos de Vendarketing – a união entre as equipes de marketing e vendas, buscando, assim, melhores resultados para o negócio.

O acordo entre os setores ajuda a evitar que as expectativas sejam maiores do que deveriam sobre um dos times, ou que um deles tenha muito mais tarefas que o outro, por exemplo.

Segundo passo: a qualificação de leads

A principal função do marketing digital com foco em conteúdo é a geração de leads. Quando essa estratégia é bem elaborada, a tendência é de que o número de leads atraídos cresça exponencialmente.

O problema é que, com o tempo, a equipe de vendas acaba sobrecarregada e deixa de fazer contato com todos os leads gerados. Ainda que contratar novos vendedores pareça ser a solução nesse momento, existe uma alternativa muito mais barata: a qualificação de leads.

No Inbound Marketing, a qualificação começa na geração de leads, quando com uma ou mais personas ideais em mente, a empresa passa a produzir conteúdo relevante, com foco nas necessidades desses clientes. Com o tempo, é possível determinar quanto o lead está “maduro” para comprar seu produto/serviço.

Basta analisar, por exemplo, quantas conversões ele realizou no site, tempo e número de interações com a empresa, palavras-chave usadas em pesquisas, etc. De acordo com essa análise, é importante classificar e separar os leads em 3 grupos:

  • Bons leads que têm intenção de compra clara;
  • Bons leads que ainda não estão no momento certo da compra ou leads medianos com intenção de compra alta;
  • E leads ruins para vendas (geralmente pessoas apenas interessadas no conteúdo, mas sem intenção de compra).

Desta forma, prioriza-se o tempo da equipe comercial, focando os esforços desses profissionais em leads com maior probabilidade de compra gerando, consequentemente, melhores resultados para a empresa.

Terceiro passo: o alinhamento do processo de vendas

Como já mencionado, o número de leads que será repassado ao time de vendas deve estar de acordo com a capacidade de atendimento da equipe. Além disso, é de extrema importância que haja alinhamento para que a equipe de Vendarketing estabeleça como os leads serão abordados.

Ao time de marketing, cabe a função de entregar não só os leads qualificados, mas também informações importantes sobre esse lead, que possam facilitar a abordagem do time de vendas. Algumas informações possíveis de serem levantadas são dados de contato, área de atuação, cargo, possíveis oportunidades de abordagem, etc.

Assim, o vendedor consegue consultar o histórico do lead, quais materiais ele baixou, e-mails que recebeu e ser mais preciso na abordagem, oferecendo no tempo certo a melhor solução para a “dor” do prospect.

Já ao time de vendas, cabe a função de estipular o tempo máximo para abordagem dos leads repassados pelo marketing e uma estratégia eficiente para atendê-los com qualidade. O timing, aliás, é de extrema importância nesse momento.

De acordo com dados de pesquisa recente realizada pelo Sua House, a taxa de conversão de contatos em vendas aumenta 62% quando o potencial cliente tem uma resposta em até 5 minutos.

Outro ponto importante é o número de abordagens. Tentar o contato uma ou duas vezes com o prospect e depois simplesmente esquecê-lo pode gerar a perda de diversas oportunidades.

Segundo a mesma pesquisa do Sua House, o recomendado é fazer até seis tentativas, o que aumenta as chances de fechamento de negócio em até 93%.

Quarto passo: retorno do lead para melhoria contínua do processo

Depois do atendimento, o time de vendas precisa repassar um feedback ao marketing, indicando quantos leads se tornaram clientes e, se não se tornaram, quais as razões para isso ter ocorrido. Assim, é possível mensurar e identificar de forma muito mais clara onde estão os gargalos e as possibilidades de melhora do processo.

Pode-se analisar os leads individualmente, por exemplo, e buscar características daqueles que fecharam: de onde vieram, qual tema estavam procurando, quantas conversões fizeram, quais os e-mails clicaram, entre outros. Toda essa riqueza de informações serve como ajuste e para estabelecimento dos próximos desafios.

Continue lendo

Para evitar pedalada, governo cancela obras do MCMV

No apagar das luzes do Governo Temer, entre 24 e 31 de dezembro de 2018,…

Ver mais

Fiasco no IPO da WeWork coloca unicórnios em xeque

Se você não está familiarizado com as expressões no título deste post, cabe uma breve…

Ver mais